2

O meu coração deixei-o lá em cima...


Lembro-me de quando fui para o Porto. As primeiras impressões não foram muito animadoras: cidade suja, escura, gente que fala com decibéis muito elevados, um trânsito medonho...

Mas com o tempo fui descobrindo o outro Porto. A luz mística, a gente atenciosa e calorosa, a muita criatividade e a sensação de se estar em família pela facilidade em conhecer pessoas e o apego que se gera entre elas.


Os meus primeiros 20 anos foram passados na terra da luz mas, como ser do ar que sou, que procura a liberdade acabei por apanhar boleia até ao Porto num curso.


7 anos mais tarde estou de volta para tentar a sorte. As primeiras impressões: cidade de luz que parece não chover, pessoas multiraciais, variedade de estilos e mentalidades, gentes desconfiadas e mal encaradas sempre num corre corre, muitos meios de transportes e alternativas ao carro, mais cultura e mais qualidade, comida mais cara e mais escassa..


Será que também vou descobrir uma outra Lisboa? A que nunca cheguei a conheçer?


É peculiar como não me sinto parte integrante desta Lisboa que deixei para trás.. cresceu sem mim e eu sem ela.

(foto de lienosauros)

2 comments:

Filha do Vento disse...

dont worry... vais te reintegrar RAPIDISSIMAMENTE... Lisboa teve saudades de ti!

Joana de Andrade disse...

Ao ler este pequeno e belo texto , tive um estranha sensação de te entender tão bem , como a água escorrega das minhas mãos .
Multiplas sensaçoes semelhantes essas que nos inter-ligam a cidade invicta , as vezes tenho a sensação de que mais nenhuma cidade me completará tão bem como aquela , mas na verdade aho que foi isso que me fez fugir dela .... o medo de dela depender ... a mudança faz-nos bem à alma , ao espirito e ao corpo .... com calma econtrarás a luz de Lisboa , o encanto de ai te sentires um pouco Pulguinha "despercebida" coisa que ambas sabemos na cidade invicta não ser possivel ....