2

Orgasmic Birth




Há muito que quero ver este filme.
Este sábado, para quem está pelo Porto, vai ser apresentado por aqui.

2 comments:

Patrícia disse...

Bem.Este assunto é polémico...claro que a maternidade "natural" é uma experiência inesquecivel...mas existem muitos riscos que ficam mais elevados fora de um local onde se tenha todo o tipo de assistência.Ninguém seria capaz de negligenciar a salvaguarda da sua criança, e da sua própria vida,para poder desfrutar da maternidade "orgasmica".Porque pode ser tão fugaz que o perigo não compensa!

A medicina tem os seus problemas os seus lobbies ect...mas os seus progressos foram neste caso na direcção de salvaguardar a vida das pessoas.A mortalidade infantil e materna tem diminuido muito devido a esse cuidado médico assistido no parto. Se houver complicações graves inesperáveis?...ainda se tem que ir para o hospital...a verdadeira naturalidade dos fenómenos naturais está na sua imprevisibilidade completa...correr o risco?No way.
A magia verdadeira,não está no momento do parto.Porque mãe não é aquela que tem mas a que cria...e o que toda a gente quer é viver para os criar...e ver crescer!

Peço desculpa por ter colocado este longo comentário no teu blog.Que aprecio.

beijinhos

Lou* disse...

A maternidade orgasmica é um direito com todas as consequências que pode acarretar assim como todas as vantagens.
Dei à luz num hospital porque não tinha informação suficiente para poder tomar outra opção e na altura pareceu-me a única.
Parece-me que nós, como seres humanos, delegamos o trabalho inerente ao nosso corpo às instituições medicalizadas sem sequer pensar como isso é anti-natural.
Os médicos só deveriam agir quando algo corre mal e não fazer do parto uma doença a ser tratada.O corpo da mulher está preparado para este acontecimento a nossa realidade é que não. Outros países dão escolher em conjunto com o médico ou parteira, o local mais indicado para o parto e quais são as suas escolhas pessoais para esse momento tão marcante na vida de uma família.
O importante aqui é a mulher poder escolher informada aquilo que quer que seja o seu parto o que não acontece face à rigidez dos protocolos hospitalares.
Sem duvida que pode existir complicações mas isso será tanto em casa, ou noutro local, como no hospital. O que nós falta são essas mesmas condições e profissionais que assistam a escolha da parturiente.
Não defendo exclusivamente o parto em casa mas sim o direito à escolha de cada mulher tem, quer seja um parto natural, em casa, no hospital, medicalizado ou não.